Tramazeira (Sorbus aucuparia L.)

  • tramazeira-01tramazeira-01
  • tramazeira-02tramazeira-02

Museu Virtual Category: PATRIMÓNIO NATURAL, Biologia, Flora e ÁrvoresMuseu Virtual Tags: flora, património natural e tramazeira

Info
Info
Fotografias
Mapa de Localização
Itens Relacionados
  • Tramazeira (Sorbus aucuparia L.)

    Família: Rosaceae

    Distribuição: toda a Europa, Sibéria e Caucaso. Em Portugal ocorre em serras do centro e norte.

    Caducidade: caduca

    Altura: até 20m, normalmente menos de 15m

    Longevidade: cerca de 100 anos

    Porte: árvore de copa ovalada

    Ritidoma: liso, acinzentado em árvores jovens, tornando-se com a idade mais acastanhado e eventualmente fissurado; raminhos jovens peludos com lentículas abundantes.

    Folhas: compostas, peludas tornando-se glabras depois da floração, com 9-15 folíolos de margem serrada, verde na parte superior e branco tomentosas na parte inferior, comprimento de 2,5 a 6cm, ou mesmo 9cm.

    Estrutura reprodutiva: flores em corimbos terminais, pouco ramificados; flores com recetáculo tomentoso, pétalas brancas, até 7mm, glabras ou quase, sépalas tomentosas na face externa, ovário com 2-3 carpelos unidos na parte inferior; fruto, um pomo de subgloboso a piriforme, carnudo e vermelho.

    Floração: primavera

    Maturação dos frutos: setembro, outubro

    Habitat e ecologia: bosques e zonas abertas de altitude, ocorrendo até aos 2000m. Indiferente ao pH, embora melhor em solos siliciosos, soltos, frescos e profundos. Espécie de pleno sol ou semi-sombra necessitando de humidade moderada. Suporta baixas temperaturas. Tolera poluição urbana e ventos marítimos muito fortes. Tem um crescimento bastante rápido quando é jovem. Os frutos atraem muitos pássaros e existem pelo menos 28 espécies de insetos associados à espécie. Mamíferos como as raposas, texugos e esquilos também apreciam o fruto. Regenera bem após cortes.

    Usos e costumes: os frutos, apesar de serem muito ácidos podem ser usados na confeção de compotas, sendo utilizado nos países nórdicos no fabrico de bebidas alcoólicas. Em alguns países as folhas utilizam-se para curtir. As folhas e flores podem ser usadas como substituto do chá. A planta tem várias aplicações medicinais, sendo usada para tratar problemas renais, escorbuto, hemorroidas, diarreia, etc. A madeira é muito compacta e elástica, usada para tornear, assim como para rodas e cintas de pipas. Planta usada como ornamental. Têm sido desenvolvidas variedades da árvore com frutos maiores e mais doces.

    Modos de propagação: por semente: semear assim que as sementes estiverem maduras. Estratificar por 2 semanas à temperatura ambiente e de seguida 3-4 meses a frio pode ajudar no processo de germinação. Quando as pequenas plantas tiverem tamanho suficiente para pegar, separe-as em vasos individuais. Estas podem crescer devagar nos primeiro ano ou dois, pois estão ocupadas a desenvolver um bom sistema radicular. Deve resguardar-se as plantas no primeiro inverno e plantá-las nas posições permanentes no outono seguinte.

     

    Bibliografia
    Websites Consultados

    http://www.florestar.net/gilbardeira/gilbardeira.html

  • No Records Found

    Sorry, no record were found. Please adjust your search criteria and try again.