Capela de Nossa Senhora de Lurdes

  • Capela-Nossa-Sra.-de-Lurdes-01Capela-Nossa-Sra.-de-Lurdes-01
  • Capela-Nossa-Sra.-de-Lurdes-02Capela-Nossa-Sra.-de-Lurdes-02
  • Capela-Nossa-Sra.-de-Lurdes-03Capela-Nossa-Sra.-de-Lurdes-03

Museu Virtual Category: PATRIMÓNIO EDIFICADO e CapelasMuseu Virtual Tags: capelas, património edificado e religião

Info
Info
Fotografias
Mapa de Localização
Itens Relacionados
  • Capela de Nossa Senhora de Lurdes

    A primeira referência a esta capela surge no Livros dos Usos da Igreja de São Pedro no qual, referindo a construção da capela de Nossa Senhora dos Verdes dizia que era a primeira “erigida em honra de Nossa Senhora” em toda a vila “pois que as outras, de Nª Senhora da Saúde nas Caldas e de Nª Senhora de Lourdes na mesma estância, foram benzidas respetivamente em onze de julho de mil setecentos e oitenta e nove (1789) e em vinte de abril de mil oitocentos e noventa e sete (1897).”

    O culto de Nossa Senhora de Lurdes é mais tardio e encontra-se ligado às águas termais, desde finais do século XIX, quando  Nossa Senhora aparece a Bernadette numa gruta, perto da cidade francesa de Lourdes. Tornou-se usual que locais com águas “milagrosas”, com poderes curativos, assumissem o culto a Nossa Senhora de Lourdes, daí que tenha sido construída a capela junto das Termas de Manteigas.

    Em 1984, teve de ser demolida e reconstruída num lugar mais acima da original, por força do plano de urbanização da zona. Então, a que hoje encontramos, foi mandada construir pelo reverendo Padre António Tarrinha, cumprindo uma promessa do Instituto de Obras Sociais, então detentor das Termas.

    Contrariamente, àquilo que tem sido referido, esta capela não foi construída em substituição da outra dedicada a Nossa Senhora da Saúde. As duas coexistiram até 1983, data em que esta última foi transferida para o local onde se encontra hoje.

    Trata-se, então, de um edifício recente e de aspeto simples, de linhas retas, com as fachadas todas pintadas de branco com a base em cantaria regular de granito. Na fachada, sobressai a cruz central, em amarelo, colocada acima da porta e entre as duas janelas quadrangulares. Do lado direito, existe um prolongamento da capela que serve de sacristia, sendo inserida na extensão da cobertura da capela, que serve também de suporte a um campanário com um pequeno sino, e com uma cruz de pedra.

    O interior é despojado de grande decoração, sendo as paredes brancas, cobertas de madeira até mais ou menos 1/4. Sem qualquer tipo de retábulo, foi colocado apenas um cristo crucificado atrás da mesa de altar, e por cima do sacrário todo dourado. A respetiva imagem de Nossa Senhora de Lurdes foi colocada lateralmente, com outra imagem no lado oposto.

     

    Estado de conservação 

    Bom à data de 03-10-2014

     
     Bibliografia

    Antologia I – Depoimentos Histórico – Etnográficos sobre Manteigas e Sameiro, José Lucas Baptista Duarte, Edição da Câmara Municipal de Manteigas, 1985

    Dicionário Enciclopédico das Freguesias – 3º volume, Editora ANAFRE, 1997

    Nossa Senhora dos Verdes de Manteigas, P. José Baylão Pinheiro, 1942, Reedição 1998

    Padre António Tarrinha, Pastor Atento e Dedicado, Evocação nos 100 anos do seu nascimento, Ediçã0 Económico da Paróquia de S. Pedro, Manteigas, 2012

     

  • No Records Found

    Sorry, no record were found. Please adjust your search criteria and try again.