Teixo (Taxus baccata L.)

  • teixo-01teixo-01
  • teixo-02teixo-02

Museu Virtual Category: PATRIMÓNIO NATURAL e BiologiaMuseu Virtual Tags: flora, património natural e teixo

Info
Info
Fotografias
Mapa de Localização
Itens Relacionados
  • Teixo (Taxus baccata L.)

     

    Família: Taxaceae

    Distribuição: Europa, Ásia e norte de África. Em Portugal habita algumas serras do centro e norte.

    Caducidade: persistente

    Altura: até 20m

    Longevidade: normalmente entre 1500 e 2000 anos

    Porte: espécie arbustiva ou arbórea dioica, de copa piramidal ou alargada com ramos mais ou menos horizontais.

    Ritidoma: tronco castanho-avermelhado que se destaca em tiras.

    Folhas: lineares, verde-escuras na página superior, verde-amareladas na inferior, glabras, curtamente pecioladas, alternas, dispostas num plano (disticadas) por torção do pecíolo; com 10-30 x 1,5-3cm e uma nervura média saliente que termina num pequeno mucrão.

    Estrutura reprodutiva: cones masculinos na axila de folhas modificadas alaranjadas; primórdios seminais nus, curtamente pedunculados, situados nas axilas das folhas; semente nua de 6 a 7mm, envolvida por uma estrutura carnosa (arilo), vermelha, viscosa e de sabor adocicado.

    Floração: finais de inverno a princípios da primavera

    Maturação dos frutos: formam-se desde o final do verão até ao início do inverno.

    Habitat: áreas pouco sacrificadas pelo fogo, normalmente localizadas na proximidade de cursos de água. Habita desde os 500 aos 1800 ou mesmo 2100m. Ocorre mais frequentemente em solos calcários, embora prospere em qualquer tipo de solo. Espécie de sombra, embora consiga viver ao sol. Necessita de bastante humidade ambiental e resiste bem ao frio, até -25°C. É uma espécie de crescimento lento. Tolera a poluição urbana, mas ressente-se de forte exposição marítima. O arilo da semente é apreciado pelos pássaros, nomeadamente por tordos, mas também pelas raposas e texugos. A casca da árvore é bastante sensível, pelo que se deve ter cuidado para não a danificar.

    Usos e costumes: Do teixo extrai-se o taxol, substância usada no tratamento de vários tipos de cancro, só recentemente produzida por hemisíntese química. A madeira é muito dura, resistente e elástica, parecida com o ébano; muito procurada para trabalhos de marcenaria; no passado uma das madeiras mais utilizadas no fabrico de arcos para a guerra e caça. Muito frequente em jardins, com numerosas cultivares de interesse ornamental, pois admite bem o recorte.

    Modos de propagação: por semente: Dos teixos fêmea deve colher-se as sementes, quando o arilo carnudo estiver vermelho e a semente já tiver passado de verde a castanho-escuro. Deve separar-se as sementes da polpa vermelha, comendo a polpa ou mergulhando os frutos em água para que as duas partes de separem mais facilmente. Pode conservar-se as sementes por um ou dois anos a 4°C, fechando-as hermeticamente depois de terem estado dois dias a secar bem. Uma opção é dar os frutos a aves domésticas, (por exemplo galinhas) tentando reproduzir o que acontece na natureza, pois as sementes ao passar pelo tubo seu tubo digestivo são corroídas por ácidos e germinam mais facilmente. Depois mistura-se os excrementos frescos com terra. Caso não tenha esta hipótese, estratificar 3-4 meses a 20°C e de seguida 3-4 meses a cerca de 5°C, pode ajudar a reduzir o tempo de germinação. Separe as pequenas plantas em vasos e, como estas crescem devagar, deverão precisar de pelo menos 2 anos até se poder plantar no local pretendido. A melhor altura para o fazer será na primavera.
    Por estaca: qualquer época é boa, contudo, as estacas não devem ter flores nem frutos e devem ter cerca de 20cm. Destas estacas semi-lenhificadas deve retirar-se as folhas da metade inferior e raspar ligeiramente o ramo nu até à base. Devem então ser plantadas com alguma inclinação em terra rica e fofa e serem protegidas do sol e de ventos frios. Não esquecer que, deste modo, obterá plantas do mesmo sexo da qual tirou os ramos.

     

    Nota: Outrora bastante abundante na Serra da Estrela, presentemente apenas se podem encontrar alguns exemplares perto do Poço do Inferno e no Covão da Ametade,  principalmente perto de linhas de água e em locais húmidos.

     

     

    Bibliografia
    Websites Consultados

    http://www.florestar.net/teixo/teixo.html

  • No Records Found

    Sorry, no record were found. Please adjust your search criteria and try again.